Maior asteroide já registrado pela Nasa se aproxima da Terra

Mas você pode ficar tranquilo, ele não representa nenhum perigo. De acordo com a agência, a rocha passará a uma distância de 7 milhões de quilômetros

Provavelmente, você já deve ter se imaginado em algum daqueles cenários do fim do mundo, não? A colisão de um grande asteroide contra a Terra poderia acabar com toda a raça humana e outros tipo de vida que habitam o nosso planeta.

Mas fique calmo, ainda não será dessa vez que teremos que enfrentar uma ameaça do tipo. OasteroideFlorence, com mais de 4 quilômetros de largura, vai passar pela Terra no dia primeirode setembro. Mas não será tão perto quanto você posso imaginar.

O Florence é a maior rocha, já registrada pela Nasa, a se aproximar do nosso planeta. Segundo o gerente do Centro de Estudos de Objetos Próximos da Terra da agência, varios asteroides já passaram mais perto do planeta água, mas esse é o maior desde que a Nasa começou o estudo para detectar e rastrear esses objetos no espaço.

O asteroide fará seu percurso a uma distância de 7 milhões de quilômetros, ou seja, 18 vezes maior do que a distância entre nosso planeta e a Lua.Mesmo assim, os cientistas irão aproveitar a oportunidade para estudar e observar o asteroide com radares terrestres.As imagens do radar revelam detalhes como o tamanho, rotação, formato, características e maior precisão sobre os detalhes da rota.

O asteroide foi descoberto em 1981 por Schelte "Bobby" Bus, na Austrália. O nome foi escolhido em homenagem a Florence Nightingale, fundadora da enfermaria moderna. O corpo celeste será observado por pequenos telescópios por várias noites enquanto atravessará as constelações de Peixe Austral, Capricórnio, Aquarius e Golfinho.

Novos planetas

A Nasa (Agência Espacial Americana) anunciou no início deste ano quedescobriu sete novos planetasdo tamanho da Terra, orbitando uma estrela a cerca de 40 anos-luz do nosso sistema solar. O estudo dos cientistas é marcante, já que os novos planetas têm potencial (tamanho e proximidade à estrela) para abrigar água líquida em suas superfícies e, portanto, pode haver vida. Saiba tudo sobre esses planetas e do asteroide no iG.

Link deste artigo:http://ultimosegundo.ig.com.br/ciencia/

Deixe um comentário