Fisioterapia pode contribuir no controle dos sintomas da pessoa com câncer

O câncer é uma doença crônica que tem aumentado cada vez mais sua incidência na população. Segundo estimativas do INCA para 2016, a ocorrência de casos novos no Brasil foi de mais de 596 mil, e para Mato Grosso, 9270. O mais prevalente nos homens é o de próstata, seguido de pulmão, cólon e reto. Já para as mulheres, é o câncer de mama, cólon e reto, e o de útero.

O crescimento do número de pessoas que vivenciam as diversas formas de câncer traz uma preocupação com o conforto, funcionalidade, independência e qualidade de vida das pessoas. Quem já teve um câncer ou acompanhou alguém nessa situação, sabe o quanto isso é fundamental, pois não é só diagnóstico, mas também o desdobramento da doença traz um grande impacto na vida das pessoas.

Muitos casos necessitam de intervenções cirúrgicas, quimioterapia e radioterapia que afetam a integridade dos tecidos e podem ocasionar disfunções em vários sistemas. Queixas como dor, fadiga, fraqueza, restrições de movimentos e sintomas respiratórios tornam-se comuns.

O acompanhamento fisioterapêutico precoce pode ajudar na prevenção, minimização ou recuperação dessas disfunções e melhora dos sintomas, buscando o bem-estar e a qualidade de vida das pessoas. A atuação é determinada por meio de uma avaliação que leva em conta o tipo e local do câncer, os tratamentos recomendados, os sintomas e queixas, e a orientação do médico oncologista responsável.

Geralmente os pacientes realizam a fisioterapia somente no período da internação hospitalar ou após a conclusão do tratamento, quando ficam com alguma limitação. Mas a intervenção pode iniciar até mesmo antes da cirurgia, com um processo de reabilitação com enfoque postural, funcional e cardiorrespiratório, garantindo uma melhor recuperação pós-operatória.

A atuação fisioterapêutica é possível em vários tipos de câncer, e podem ser citados os de mama, pulmão, próstata, neurológicos, gastrointestinais e hematológicos. Os recursos terapêuticos utilizados são os manuais, drenagem linfática, exercícios respiratórios, equipamentos de eletroterapia, acupuntura, exercícios de mobilidade e condicionamento cardiovascular, a depender da indicação de cada caso.

Procure um fisioterapeuta que possa orientar e acompanhar todo o processo de tratamento do câncer juntamente com seu médico. Ele poderá contribuir com o enfrentamento da doença e controle dos sintomas.

Francielle Fialkoski ? fisioterapeuta responsável pela Vital Sênior Fisioterapia (parceira do Espaço Più Vita). Especialista em Gerontologia pela Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia e Mestre em Saúde Coletiva.

Pármenas Alt28,044 Postagens

A estrada é longa e o tempo é curto. Não deixe de fazer nada que queira, mas tenha responsabilidade e maturidade para arcar com as consequências destas ações.

Deixe um comentário